imagem-
10-09-2020 Ministro quer associações na relação produtor/comprador

As confederações e associações empresariais devem garantir a relação entre produtores e compradores, promovendo as trocas e o relacionamento, a fim de se evitar perdas da produção nacional por falta de escoamento, defendeu hoje o ministro da Indústria e Comércio (Mindcom), Víctor Fernandes.

Falando num encontro com membros da Confederação Empresarial de Angola, para auscultar as associações empresariais, Víctor Fernandes sublinhou que o Mindcom junta-se aos parceiros do sector para encontrarem soluções.

No encontro, abordaram as formas e medidas que ajudem a minimizar os efeitos negativos da actual situação sobre a economia nacional, bem como transmitir aos operadores as iniciativas e acções do Executivo angolano, no sentido de estimular e revitalizar o sector produtivo.

Em relação ao encontro, o ministro disse ter sido satisfatório, porque permitiu tratar das dificuldades e soluções para serem materializadas. “O Mindcom está disponível para as propostas avançadas, por isso lançou desafios que poderão ajudar a melhorar as soluções apresentadas pelos parceiros”, disse o responsável.

O titular da pasta da Indústria e Comércio ,Víctor Fernandes afirmou que os desafios apresentados pelos parceiros foram aceites e vão trabalhar com equipas conjuntas nas soluções para criar maior disponibilidade ao sector produtivo e capacidade do Estado através do Ministério.

Em relação aos comerciantes estrangeiros que detêm grandes e pequenos negócios como cantinas, disse que estes devem exercer de forma legal.

Negou a existência de monopólio na produção da farinha de trigo no país, afirmando que existe apenas nas pequenas padarias operadores estrangeiros que têm alguma dimensão e estão espalhados pelo país. "Existe concorrência neste mercado e não monopólio”, concluiu o gestor.

Por outro lado, o ministro da Indústria e Comércio desafiou os empresários a trabalharem na implementação do código de barra, bem como na promoção do produto nacional, elaboração de um roteiro industrial da produção agrícola e na componente da merenda escolar.

Na visão do ministro, o país tem possibilidade de aumentar a capacidade produtiva em todos os sectores.

Já o presidente da Confederação Empresarial de Angola (CEA), Francisco Viana, fez saber que o encontro serviu para informar sobre o congresso da produção e do sector privado, que está previsto para finais de Novembro.

De acordo com o empresário, o Governo pode contar com a Confederação no esforço de relançamento do sector produtivo. “Trouxemos algumas das 58 associações que integram a organização e um conjunto de preocupações, no sentido de melhor concertação com o Governo, reforçou.

Francisco Viana disse ser necessário maior concentração e focalização no Plano Integrado para o Desenvolvimento do Comércio Local, bem como nas micro, pequenas e médias empresas.

 

Fonte:Angop