imagem-
20-10-2020 Chefe de Estado lamenta morte do embaixador Vilinga

O Presidente da República, João Lourenço, exprimiu os seus sentimentos de pesar pela morte, por doença, do embaixador Isaías Jaime Vilinga, ocorrida em Luanda.

Na nota, proveniente da Secretaria de Imprensa do Presidente da República, o Chefe de Estado expressou, em nome do Executivo, no seu próprio e no da sua família “sentidas condolências à família, colegas e amigos do malogrado”.

Na mensagem, o Presidente João Lourenço referiu-se ao embaixador Isaías Jaime Vilinga como "um patriota que, durante grande parte da sua vida, se dedicou com empenho e firmeza à realização da causa da Independência Nacional e da projecção da imagem de Angola no mundo".

Destacou Jaime Vilinga como alguém que "desempenhou as suas funções com zelo e dedicação, nos vários países em que nos representou na qualidade de embaixador extraordinário e plenipotenciário".

"Nesta hora em que todos nos lembramos com profunda tristeza do desaparecimento físico desta figura do nacionalismo contemporâneo angolano, quero manifestar a nossa indefectível solidariedade à família enlutada", concluiu o Presidente da República.

Isaías Jaime Vilinga nasceu a 4 de Março de 1939, no Bailundo, província do Huambo.

Foi embaixador extraordinário e plenipotenciário de Angola em Moçambique, Grécia e no Reino da Suécia, e ainda vice-governador da província de Benguela.

 

 

 

Fonte:Angop