imagem-
22-10-2020 Plano Rodoviário define responsabilidades de gestão

O Plano Rodoviário apresentado e discutido em Luanda, vem definir responsabilidades na gestão, exploração, conservação e manutenção das estradas do país, disse nesta quarta-feira o director-geral do Instituto Nacional de Estradas de Angola (INEA).

Molares d’Abril, que falava à imprensa no final da reunião do CNVOT orientada pelo Vice-presidente da República, Bornito de Sousa, informou que o plano vem classificar as estradas em nacionais - as que serão geridas pelo seu instituto - e municipais - que ficarão sob responsabilidade da administração local.

Disse, ainda, que o INEA deverá definir as características geométricas e dimensões das estradas, além de se concentrar na sua modernização e melhoria das condições de exploração.

Explicou que a classificação das estradas, apresentada na reunião do  Conselho Nacional de Viação e Ordenamento do Trânsito (CNVOT), está relacionada com o volume de tráfego diário que as mesmas comportam ou que possam vir a ter.

Falou, também, das estradas especiais, aquelas com um volume de tráfego  acima dos cinco mil veículos dia, utilizadas essencialmente para escoamento do trânsito, como as auto-estradas e vias expressas.

O responsável do INEA valorizou as propostas de medidas redutoras da velocidade e acalmia do tráfego, que se conciliam com a necessidade da circulação automóvel e de peões, em segurança.

Destacou, entre as medidas redutoras de velocidade, a instalação de dispositivos que permitam compatibilizar a circulação automóvel à possibilidade dos peões circularem em segurança.

Considerou serem soluções de engenharia que devem ser criteriosamente analisadas, para reduzir a velocidade na via pública e acabar com a anarquia no tráfego.

A proposta de Plano Rodoviário de Angola visa adequar a rede nacional de estradas às actuais condições de desenvolvimento do país.

 

Fonte:Angop