imagem-
02-01-2020 Turismo alavanca economia nacional

A criação de infra-estruturas turísticas em todo o país poderá ajudar no processo de aceleração da diversificação da economia nacional, afirmou em Luanda, a ministra do Turismo, Ângela Bragança.

Salientou que o turismo desempenhará um papel indispensável no desenvolvimento da economia angolana, pelo facto do país ter potencial suficiente para alavancar a indústria do turismo, um desiderato a ser atingido com a participação do empresariado estrangeiro.

Em declarações à imprensa, por ocasião do cumprimentos de fim de ano, a titular da pasta do Turismo frisou que com o alcance da paz efectiva, o governo tem estado a criar condições para estimular o turismo, quer por meio de investidores nacionais, quer por meio de investidores externos.

Acrescentou que os cidadãos têm muitas expectativas em relação à participação do turismo no processo de diversificação da economia e na criação de postos de trabalho, daí a necessidade de se estruturar bem as acções ligadas ao saneamento, melhoria na certificação das unidades hoteleiras e de restauração.

Sublinhou que o Executivo vai continuar a trabalhar no sentido de criar as condições para melhorar cada vez mais o sector.

Segundo a responsável, o ministério vai continuar a trabalhar no sentido de elevar o turismo nacional aos patamares mais elevados e desta feita atrair cada vez mais turistas ao país.

Para que sejam alcançados os objectivos, a ministra desafiou o sector privado nacional e estrangeiro para que invistam cada vez mais neste segmento da actividade económica.

A criatividade e a inovação são duas competências que a governante mencionou na sua comunicação, na perspectiva dos empresários estruturarem o que existe, criando roteiros turísticos onde existam espaços e produtos classificados.

Ângela Bragança sublinhou também a necessidade dos quadros serem bem formados em diferentes segmentos do negócio turístico e com uma visão moderna, “pois o sector hoteleiro é um dos que mais emprega em todo o país”.

Sublinhou que o turismo é uma das principais fontes de receitas para o Estado em qualquer parte do mundo e, neste caso, Angola não pode fugir a essa realidade.

 “É necessário haver condições suficientes para estimular o turismo nacional e internacional, um feito que já é notório em vários pontos do país, embora ainda de forma tímida”, sublinhou.

Melhorar a planificação e a estatística para avaliar em cada período o impacto do sector do turismo na economia, dinamizar e engajar o sector empresarial privado na realização de projectos turísticos, e apoiar implementação dos que já estão em carteira.

Prosseguir esforços para a melhoria do licenciamento dos empreendimentos hoteleiros, a par das que estão em curso, para atrair no país, pelo menos, uma das cadeias internacionais durante o ano de 2020.

 

Fonte: Angop