imagem-
29-01-2020 Venda de petróleo gera USD 7,6 mil milhões

Angola vendeu no quarto trimestre de 2019 petróleo bruto no valor de 7,6 mil milhões de dólares norte-americanos, resultante da exportação de 117 milhões de barris, pertencentes à Sonangol e às companhias internacionais que operam no país.

No terceiro trimestre do mesmo ano (Junho a Setembro), foram vendidos 116,4 milhões de barris de petróleo, a um preço médio de 62,8 dólares por barril, enquanto no período anterior (2ºtrimestre) registou-se uma baixa, pois foram exportados cerca de 121,8 milhões de barris que permitiu arrecadar USD 8,5 mil milhões.

Da produção do quarto trimestre de 2019, cerca de 39 por cento corresponde a cota parte da Sonangol e da concessionária nacional, sendo que os principais destinos foram a China com 72 por cento, seguida da Espanha com 6 por cento e a Índia com cinco por cento.

A informação revelada hoje pelo director nacional da Comercialização do Ministério dos Recursos Minerais e Petróleos, Gaspar Sermão, num encontro de apresentação do balanço do 4º trimestre da produção petrolífera de 2019, reporta que a Sonangol e as suas parceiras exportaram cerca de 478 milhões de barris, ao preço médio de USD 65/barril, que resultaram na venda bruta avaliada de USD 31,2 mil milhões.

Por sua vez, o presidente da comissão executiva da Sonangol Comercialização Internacional (SONACI), Luís Manuel, explicou que durante 2019, a empresa pública comercializou cerca de 172 milhões de barris e arrecadou uma receita bruta de USD 11,3 mil milhões.

Informou que o primeiro trimestre de 2019 foi o período que se registou maior venda do crude ao atingir 45 milhões de barris, sendo o baixo o terceiro trimestre, contabilizado em 38 milhões de barris.

Em relação ao preço médio do Brent, explicou que chegou até 69,5 dólares/BBL, ao passo que a venda mais baixa foi registada no terceiro ao atingir 62 dólares/BBL.

Já o secretário de Estado dos Petróleos, José Barroso, explicou que para ano em curso se pretende dar continuidade a média de produção petrolífera diária atingida em 2019 (um milhão e 400 mil barris de petróleo/dia). 

Em relação à Sonangol, disse que a empresa vai dar continuidade ao programa de reestruturação e ao processo de privatização dos seus activos que não fazem parte da sua actividade principal (pesquisa, exploração e distribuição de petróleo).

Fonte: Angop