imagem-
05-02-2020 Cimeira quadripartida orienta libertação de "prisioneiros"

A cimeira quadripartida (Angola, Ruanda, República Democrática do Congo e Uganda) determinou, este domingo, a libertação dos cidadãos nacionais do Uganda e Ruanda, devidamente identificados e constantes das listas trocadas para este propósito.

A decisão vem expressa no comunicado final da 3ª cimeira quadripartida que juntou, na capital do país, Luanda, os Chefes de Estado Félix Tshisekedi, da RD Congo, Paul Kagame, do Ruanda, Yoweri Museveni, do Uganda, e o anfitrião, João Lourenço.

O documento, lido pelo ministro das Relações Exteriores, Manuel Augusto, observa que as partes (Ruanda e Uganda) devem continuar a proteger e respeitar os direitos humanos dos cidadãos nacionais de parte a parte.

Refere, ainda, que os dois países devem abster-se de todos os factores “que possam criar a percepção de apoio, financiamento, treinamento e infiltração de forças desestabilizadoras no território do seu vizinho”.  

A cimeira quadripartida manifestou, igualmente, a continuação das actividades da Comissão Ad-Hoc, como mecanismo de acompanhamento da implementação do processo.

Por seu turno, o Uganda e Ruanda comprometeram-se a continuar a privilegiar o diálogo permanente entre os dois países para o desenvolvimento e o bem-estar dos seus povos.   

O Presidente da República do Uganda Yoweri Museveni e o seu homólogo do Ruanda, Paul Kagame decidiram dar passos subsequentes para a paz, a estabilidade, a boa vizinhança e o restabelecimento da confiança mútua.   

Os Chefes do Ruanda e do Uganda saudaram os esforços dos Chefes de Estado de Angola e da República Democrática do Congo na busca de uma solução pacífica dentro do espírito do Pan-Africanismo e da integração regional, para a resolução do diferendo entre os dois países.

Os Chefes de Estado dos quatro países trocaram também pontos de vista sobre o reforço das suas relações políticas, diplomáticas económicas e culturais.    

A próxima cimeira quadripartida terá lugar na cidade de Gatuna/Katuna, na fronteira entre o Ruanda e o Uganda no próximo dia 21 de Fevereiro de 2020.

A cimeira quadripartida, uma iniciativa do Presidente angolano, é a terceira apadrinhada por João Lourenço, depois de já o ter feito a 12 de Julho e 21 de Agosto de 2019.

Além destes quatro países integram também a CIRGL o Burundi, a República Centro-Africana, a República Congo, Quénia, Sudão, Sudão do Sul, Tanzânia e Zâmbia, num total de 12 membros.

 

Fonte: Angop