imagem-
28-02-2020 Angola assegura condições para eventuais casos de coronavírus

O Governo angolano continua a trabalhar na criação de condições necessárias para assegurar uma resposta célere aos eventuais casos do coronavírus (Covid-19) no país, numa altura em que o continente africano acaba por detectar o segundo caso positivo da epidemia, que já matou mais de duas mil e 700 pessoas no mundo.

A afirmação é do secretário de Estado para as Relações Exteriores, Téte António, durante o encontro que manteve esta quinta-feira, em Genebra (Suíça), com o director-geral da Organização Mundial da Saúde (OMS), Tedros Adhanom Ghebreyesus, no âmbito da 43ª sessão do Conselho dos Direitos Humanos, que decorre nesse país.

Na ocasião, Téte António deu a conhecer as medidas em curso no país e o Plano Nacional de Contingência para o controlo dessa doença, que tem como epicentro a China.

Reiterou a necessidade de sempre contar com o apoio da comunidade internacional e de parceiros do sector da saúde.

Em nota, os Serviços de Imprensa da Missão Permanente de Angola em Genebra referem que durante a audiência, o governante angolano assegurou que as medidas   sanitárias que estão a ser tomadas no país passam pela diminuição do risco de infecção, enquadrada nas normas estabelecidas pela Organização Mundial da Saúde.

Situação da pólio tipo-2

Além do Covid-19, Téte António informou também ao director-geral da OMS a situação da Pólio tipo-2, uma doença viral que é transmitida de pessoa para pessoa, principalmente por via fecal-oral, água ou alimentos contaminados.

Fez saber que em todo o país estão em curso os esforços para  aumentar rapidamente os níveis de imunidade  em crianças, e protegê-las da paralisia da poliomielite.

Para Téte António, a resposta ao surto de poliomielite requer um enorme esforço de coordenação multissectorial.

O continente africano tem vindo a enfrentar em 14 países, incluindo Angola, surtos   de um vírus da poliomielite tipo-  (cVDPV2).

Em Angola, foi   confirmado laboratorialmente a circulação do vírus tipo-2 e está a ser utilizada a vacina pólio oral mono valente tipo - 2.

Para o  efeito, o Governo  de  Angola continua a dar resposta ao surto   de poliomielite, seguindo as directrizes acordadas internacionalmente, que inclui o reforço   das actividades de vigilância para detectar rapidamente quaisquer outros casos.

Nessa jornada, a OMS e parceiros da Iniciativa Global de Erradicação da Poliomielite (IGEP), devem continuar a apoiar o Governo de Angola em acções estratégicas para interromper a transmissão da poliovírus, segundo Téte António.

Outros encontros 

Ainda no âmbito dos eventos paralelos à 43ª sessão do Conselho dos Direitos Humanos, que decorre em Genebra, o secretário de Estado angolano manteve encontros com a secretária-geral da Commonwealth,  Patrícia  Scotland, com quem abordou aspectos relacionados com a candidatura de Angola na Comunidade Britânica das Nações, e com o Vice-Ministro das Relações Internacionais da África do Sul, Alvin Botes.

Neste último encontro, Téte António abordou com o governante sul-africano questões bilaterais e regionais, bem como a necessidade de coordenação de delegações dos dois países em fóruns internacionais.

A agenda da OUA, sob presidência da África do Sul, e dos direitos humanos, assim como o impacto da exploração ilícita de recursos naturais e solidariedade entre os povos também esteve na agenda do encontro.

Quarta-feira (26), Téte António manteve também um encontro de trabalho com a directora executiva da Campanha Internacional para a Abolição das   Armas   Nucleares (CAN), no qual passou-se   em   revista a ratificação de tratados relacionados com as armas nucleares e desminagem.

 

Fonte: Angop