imagem-
02-09-2020 Bita prevê produzir 259 mil metros cúbicos de água/dia

O projecto de captação e tratamento do Bita, avaliado em USD 900 milhões, terá uma capacidade de distribuição de 259 mil metros cúbicos de água/dia, informou nesta terça-feira o secretário de Estado das Águas, Lucrécio Costa.

O projecto, cujas obras deviam ter começado em 2011, terá a duração de 40 meses e vai permitir efectuar 170 mil ligações domiciliárias e consta do plano director para o abastecimento de água na cidade de Luanda.


Para a materialização deste projecto, o Empresa Provincial de Águas de Luanda (EPAL) vai fazer a captação da água no rio Kwanza, segue para o tratamento e depois vai para três centros de distribuição (CDs), explicou o engenheiro, quando falava no espaço a Grande Entrevista da Televisão Pública de Angola (TPA).


Lucrécio Costa, funcionário do sector há longos anos, explicou que o sistema de água Bita estará interligado ao projecto Luanda Sudeste.


Ao se referir ao sistema Candelabro dois, na província de Luanda, disse que vai produzir 200 mil metros cúbicos de água, representando 20 por cento do aumento de abastecimento de água na cidade capital, sendo que o outro desafio para a capital do país ser o aumento da Estação de Tratamento de Água (ETA).


Sobre o programa “Água para Todos”, referiu que, apesar da insustentabilidade, permitiu a construção de três mil e 400 pontos de água e cerca de mil e 250 pequenos sistemas de abastecimento de água no país e prevê-se um novo programa que visa estender para cerca 150 localidades.


Em relação à situação dos projectos para a mitigação da seca no Cunene, condicionada devido à situação da Covid-19, esclareceu que a solução passará por retirar a água do rio Cunene e levar às zonas da bacia do Cuvelai.


Enquanto a província do Namibe, também afectada pela seca, avançou que poderá ser feito um concurso público, nos próximos tempos, para a construção de barragens, sendo que nesta localidade já se recuperou 50 % dos furos inoperantes.

 

Fonte:Angop