imagem-
14-09-2020 Electrificação chega a Quibala

Uma subestação eléctrica móvel de 220/30 KV- 10 MVA entra em funcionamento nesta quarta-feira, no município da Quibala, localidade da província do Cuanza Sul com forte actividade agro-pecuária, visando satisfazer as necessidades em termos de consumo de energia.

O projecto, anunciado a 22 de Maio último pelo titular do sector da Energia e Águas, João Baptista Borges, contempla também a construção de várias infra-estruturas de suporte, particularmente, as redes de distribuição em média e baixa tensão, incluindo as ligações domiciliares.

Este projecto, a ser inaugurado na próxima quarta-feira (16 de Setembro), enquadra-se nos programas do Governo que visam a melhoria das condições de vida das famílias angolanas e representa o cumprimento de mais uma das promessas do Executivo angolano, anunciadas na Quibala, província do Cuanza Sul, no dia 11 de Novembro de 2019, no acto central que assinalou a data da proclamação da independência nacional.  

Segundo uma nota de imprensa do Ministério de Energia e Águas, toda essa acção foi realizada com material reutilizado cedido pela ENDE, RNT e PRODEL e decorreu nesta fase bastante complexa da pandemia da Covid-19 que também assola o país.

Os trabalhos conheceram assim o seu fim, permitem fazer chegar energia eléctrica regular à casa de milhares de habitantes desta localidade, incluindo de unidades agro-pecuárias.  

O projecto contempla igualmente a extensão da rede eléctrica às fazendas agrícolas, processo que está em curso em parceria com o Ministério da Agricultura e Pescas, nomeadamente a construção de linhas de média tensão com cerca de 75 Km de extensão, que visa o desenvolvimento sustentável da agricultura, aproveitando a disponibilidade existente de energia de produção hídrica, proveniente da rede eléctrica nacional.  

Os trabalhos foram executados em seis meses, e a chegada da electricidade a esta localidade põe assim fim a um longo período de carência, suprimida parcialmente por grupos e meios de geração alternativos, particularmente na iluminação das residências.

Agora, quer a população quer a classe empresarial local, maioritariamente dedicada a agro-pecuária, deixarão de despender parte considerável dos seus rendimentos na compra de combustíveis e nos avultados custos com a manutenção de geradores.  

Com a energia eléctrica da rede pública na Quibala, estão lançadas bases sólidas para estimular o seu desenvolvimento sócio-económico.  

 

 

 

Fonte:Angop