imagem-
06-10-2020 Abordado relançamento da integração económica no continente

O ministro das Relações Exteriores, Téte António, abordou nesta (segunda-feira) com o presidente da Comissão da Comunidade Económica dos Estados da África Central (CEEAC), Gilberto Veríssimo da Piedade, aspectos ligados à integração dos países na referida comunidade.

No final do encontro, o ministro Téte António disse que a integração é um tema profundo, que não depende somente da diplomacia, mas também dos povos.

Segundo o governante angolano, cada Estado tem a responsabilidade de fazer cumprir a implementação do tratado.

Por seu turno, o presidente da Comissão da CEEAC, Gilberto Veríssimo da Piedade, disse existirem algumas ideias de como implementar a integração, mas que precisam de ser validadas, por isso, contam com Angola para apoiar na consolidação dessas pretensões.

Nesta primeira visita a Angola, após tomada de posse em Agosto último, Gilberto Veríssimo da Piedade será, ainda, recebido pela ministra da Saúde, Sílvia Lutucuta, com quem falará de assuntos relacionados com a Covid-19.

O responsável espera que as experiências de Angola, possam servir para outros Estados da região, no combate a esta pandemia, defendendo que a comunidade deve ajudar o país nesta luta.

Gilberto Veríssimo da Piedade vai reunir-se, também, com o ministro da Defesa, João Ernesto dos Santos, para falar dos problemas reinantes na República Centro Africano, Camarões e no Tchad.

O programa da visita do líder da CEEAC prevê, igualmente, encontros separados com os ministros das Finanças, Vera Daves, da Economia e Planeamento, Sérgio Santos, do Comércio e Indústria, Victor Fernandes, bem como da Juventude e Desportos, Ana Paula do Sacramento Neto.  

O presidente da Comissão da CEEAC deverá ser recebido, em audiência, pelo Presidente da República, João Lourenço.

Criada em 1983, em Libreville, no Gabão, A CEEAC é composta por Angola, Burundi, Camarões, República Centro-Africana, República do Congo, República Democrática do Congo,  Guiné Equatorial, Rwanda, São Tomé e Príncipe, Tchade e Gabão, este último país acolhe a sede da organização. 

 

Fonte:Angop