imagem-
12-04-2021 Angola optimista quanto ao futuro do petróleo

O ministro dos Recursos Minerais, Petróleo e Gás, Diamantino Azevedo, reiterou, nesta segunda-feira, optimismo em torno do futuro do sector petrolífero em Angola, que apresenta-se com "grande" potencial.

Para o ministro, Angola continua "abençoada com grande potencial petrolífero, apresenta-se com um sector petrolífero estável, competitivo e muito atractivo aos investidores".

Falando no Roadshow de licitação das concessões petrolíferas das Bacias Terrestres do Baixo Congo e do Kwanza, referiu que o Governo está focado na melhoria contínua do ambiente de negócios para que o País seja o local de escolha para investidores locais e internacionais.

Diamantino Azevedo disse que Angola tem uma história robusta, de "muito orgulho e de grande relevância" na indústria petrolífera, tendo estado a evoluir neste sector ao longo de várias décadas, com grandes descobertas de hidrocarbonetos em segmentos de onshore, shallow e deepwater (águas profundas) atingindo, nas últimas duas décadas, a posição de segundo maior produtor de petróleo em África.

De acordo com o ministro, o Governo vai continuar agressivamente, com a sua  estratégia de atribuição de blocos, nos próximos anos, por forma a garantir, consistentemente, o aumento de volume de actividades e investimentos no sector.

A estratégia, visa mitigar o declínio de produção e reservas de hidrocarbonetos do País.

"Com o foco em assegurarmos a sustentabilidade continua de produção e das actividades no nosso sector, estamos aqui hoje para dar continuidade a nossa estratégia de atribuição de concessões", referiu Diamantino Azevedo.

Reiterou o compromisso em continuar a trabalhar com os parceiros, na melhoria do ambiente de negócios, criando as condições necessárias para continuarem a investir neste sector considerado estável, competitivo e com taxas de retorno atractivas ao investimento.

Com a estratégia de atribuição de concessões das duas bacias, a Agência Nacional de Petróleo e Gás (ANPG) prossegue com a ronda de licitações de 2020, composta por 9 blocos onshore, que parte contínua desta estratégia prevê atribuições de mais de 50 concessões entre 2019 e 2025.

Foi a 31 de Dezembro, que a Agência Nacional de Petróleo, Gás e Biocombustíveis (ANPG), no âmbito da Estratégia de Atribuição de Concessões Petrolíferas 2019-2025, anunciou a intenção de licitar os Blocos CON1, CON5 e CON6 (Bacia Terrestre do Baixo Congo) e dos Blocos KON5, KON6, KON8, KON9, KON17 e KON20 (Bacia Terrestre do Kwanza), dando início ao processo de promoção.

Com a realização desde Rodshow, a ANPG lança a venda do pacote de dados dos blocos a licitar, após sessões de esclarecimento do processo de licitação.

O processo de promoção em curso vai culminar com o lançamento do Concurso Público, a 30 de Abril de 2021, data em que serão divulgadas as regras, os procedimentos e os Termos de Referência do referido concurso.

Potenciais investidores acompanharam o evento de forma física e em videoconferência.

 

Fonte:Angop